BAIXE GRÁTIS SEU EBOOK SOBRE O LIVRO DE GÊNESIS

Descubra as maravilhosas revelações contidas nesse fantástico LIVRO!

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100{cbcd66f007a6a58b580b9a083d47e9f3b67b32ae65bce361169fcc9bac659a54} seguro!

As literaturas que surgiram com o exílio babilônico

As literaturas que surgiram com o exílio babilônico

Hey, você já conheceu o Curso Daniel e Apocalipse? Um curso incrível, que tem ajudado a vida de milhares de pessoas a entender e  dominar a ESCATOLOGIA BÍBLICA e como pregá-la.
Esse CURSO é completo, dedique um tempo e invista nessa área… saiba mais:  CLIQUE AQUI!

Uma das coisas mais importantes para o estudo e compreensão da Bíblia é o estudo dos gêneros literários, saber o gênero da passagem que estamos estudando, sua teologia, quando ele surgiu e qual era o contexto social em que ele foi composto é muito importante para quem quer compreender a mensagem da Bíblia. Por isso, a Akademia Cristã vem trazer uma breve reflexão do teólogo Gustavo Souza, sobre as literaturas de lamentações, acompanhe comigo:

História de Israel: Teologia e Literatura no exílio

O exílio de Judá marca um novo período na história de Israel. De acordo com Harrison, um sentimento de ódio e ressentimento é a reação de alguns dos exilados. Outros são movidos por humilhação e vergonha.[1] Literaturas movidas por esses sentimentos e questionamentos não faltam. Segundo Konrad Schmid, o fenômeno mais imediato foi o surgimento de textos de lamentação.[2] Lamentações de Jeremias, Jó e alguns dos Salmos são exemplos de escritos que revelam estes sentimentos. O exílio significou morte, deportação, destruição e devastação.[3]

O livro de Lamentações[4] traz em suas cinco poesias o queixume de quem presencia a destruição de perto e que tem Deus por seu inimigo maior; inimigos como Edom e até mesmo a própria Babilônia ficam em segundo plano. A ruína do Templo, da cidade e do povo é contada como o são também em alguns povos próximos. Imagens descritivas de terrível violência foram encontradas em escavações arqueológicas de cidades como Ur, Nippur e Suméria.[5]

Alguns Salmos trazem as mesmas inquietações e sentimentos; O Salmo 137 é um deles. O Salmo ficou famoso e conhecido mundialmente por sua regravação por um grupo musical de nome Boney M em 1978.[6] Não só a humilhação se faz presente, mas também o ódio aos inimigos: Babilônia e Edom (7-9).

O livro de Jó questiona a Aliança[7] e a causa dos justos que foram levados cativos. O autor do livro faz questão de deixar claro que Jó era justo e que não havia espaço para pecado ou qualquer outra falta. Os diálogos vão para o centro de toda a causa: Por que sofro se tenho em consideração as palavras do Santo?

Por: Gustavo Souza

 

Referências:

[1] HARRISON, R. K., Tempos do Antigo testamento. 2010, Rio de Janeiro, RJ, CPAD, p. 265.

[2] SCHMID, Konrad. História da literatura do Antigo Testamento: uma introdução. 2013, São Paulo, SP, Loyola, p. 143.

[3] KLEIN, Ralph W., Israel no exílio: uma interpretação teológica. 2012, São Paulo, SP, Academia Cristã, p. 16.

[4] A autoria é atribuída ao profeta Jeremias tradicionalmente.

[5] MILLER, S. M., Guia completo da Bíblia. 2015, Rio de Janeiro, RJ, Bv Books. p. 208.

[6] Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Boney_M> Acesso em: 20 de Junho de 2018 – link do clip>> https://youtu.be/jePi5lYJvvk

[7] A aliança disposta no Deuteronômio é conhecida como teologia retributiva.

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *